MÃES ATIVAS FISICAMENTE TÊM FILHOS MAIS ATIVOS

Mães que são ativas fisicamente tem filhos mais ativos e consequentemente com menos tendência a obesidade, afirma um estudo da Universidade de Cambridge. Esse estudo confirma que existe uma relação entre o nível de atividade física das mães e das crianças que estão no pré-escolar.

O estudo fez um análise da atividade física de 554 mães e seus filhos, eles usaram monitores de atividade física o dia todo durante sete dias.

O estudo mostrou que as mães que eram mais ativas também tem filhos mais ativos, e que a atividade física mãe-filho está diretamente relacionada. O estudo mostrou também que o nível de atividade da maioria das mães que estava no estudo foi muito baixa, apenas 53% das mães participantes fizeram pelo menos 30 minutos de atividade física pelo menos uma vez por semana.

O estudo mostra ainda que as crianças não são naturalmente ativas como muitos acreditam, elas seguem o passos dos pais, quando o assunto é aderir um estilo de vida saudável, quando as mães não se envolviam em atividades físicas isso reflete no comportamento das crianças. Por isso pense bem nos hábitos que você têm e no exemplo que você quer passar para os seus filhos. Vamos investir na nossa saúde, na saúde da nossa família, num futuro melhor.

Tenho visto pela Internet muita gente fazendo coisas malucas para perder peso, correndo não porque gosta, mas por que outras pessoas correm. Cada um tem que fazer a atividade que lhe faz feliz não porque o outra pessoa faz. Uma coisa é certa tudo leva tempo e não tem nada que aconteça da noite para o dia que não tenha consequëncias depois.

Se você quer exibir um corpo sarado e virar corredor, antes de querer incentivar e inspirar outras pessoas, lembre-se de inspirar primeiro aqueles que te amam de forma incondicional como filhos e família.

Antes de iniciar atividades físicas consulte um médico, depois siga as nossas dicas para começar:

1- Inicie suas atividades sempre levando em consideração o seu nível fitness, não adianta estar começando e quer correr como a Debs, que não vai rolar e você ainda vai ficar desmotivada, comece andando e correndo.
2- Tente manter uma rotina balanceada comece aos poucos e com o tempo aumente as séries na musculação, os minutos na corrida ou na caminhada, o ideal é fazer um treino que foi desenhado para você com um personal, se não for possível, é melhor fazer um pouco menos do que exagerar e se lesionar, lembre-se resultados que duram levam tempo para aparecer. Devagar e sempre.
3- Quanto mais variadas as atividades que você praticar melhor, alterne com funcional, musculação, corrida, bike, natação dentre outros.
4- Tenha uma meta, emagrecer alguns quilos? correr 5k? Saiba o que você quer.
5- Não malhe ou corra todos os dias seu corpo precisa de descanso.

 

Bons treinos!

POR DEBS AQUINO                                                                                             http://www.blogdadebs.com.br

A ARTE DE ESCOLHER O TÊNIS CERTO

Para muitos corredores e triatletas, principalmente aqueles que estão iniciando nestas modalidades, a escolha do tênis de corrida é uma verdadeira “roleta russa”. Principalmente para aqueles que preferem comprar em lojas de grandes redes, nas quais as equipes de vendas em alguns casos não estão preparadas para diferenciar um modelo de categoria “amortecimento”, de um modelo da categoria “estabilidade”. Além do que muitos atletas acabam escolhendo o tênis por causa da cor ou aparência e se este irá combinar com sua roupa de prova.

Outros acreditam que modelos que custam R$1.000,00 são os melhores do mercado, por causa do alto valor. Mal sabem que custam a metade ou até menos, são muito superiores, tecnicamente falando. A quantidade de modelos e marcas também é um fator que confunde os atletas, deixando-os na dúvida qual o modelo ideal ou correto para o tipo de prova ou treino que irão realizar.

Resultado de imagem para TENIS

Nas consultorias que tenho realizado, percebo que alguns atletas erram na escolha do tamanho, utilizando modelos extremamente justos, sem que os pés tenham o espaço necessário dentro do tênis quando estes incharem. O ideal é utilizar um tamanho maior dos sapatos que utilizamos, porém este número pode variar “para cima” uma vez que as formas e construções podem variar de um modelo para outro dentro de uma mesma marca ou em marcas diferentes.

Sobre qual modelo comprar, saiba diferenciar os modelos da categoria estabilidade, dos modelos da categoria amortecimento e da categoria performance ou competição. Nas lojas de grandes redes os modelos de corrida são todos classificados como “Running Performance”, ou seja, modelos de treinos, dividindo espaço com modelos de competição. Nas lojas especializadas os tênis são separados corretamente e a equipe de vendas preparada para explicar as diferenças entre os modelos.

Veja qual o modelo atende melhor o seu tipo de pisada (hoje diversos locais fazem o teste, tanto lojas especializadas quanto clínicas de fisioterapia esportiva), e a sua estrutura corporal, e experimente diferentes modelos de diferentes marcas. Se o seu objetivo é correr sem compromisso de baixar tempo e não gastar muito, certamente irá encontrar modelos com ótimo custo-benefício e sem “super-tecnologias”.

No caso de já ser um corredor com experiência em provas, é possível também encontrar modelos com excelente preço, principalmente quando este é a edição anterior do atual lançamento. Muitas vezes não há mudança técnica de uma edição para outra, somente uma nova cor, um novo desenho de solado e nada mais. Se você é um ou uma “peso-pena”, não há necessidade algum te der o modelo top de linha em amortecimento, á menos que você priorize esta característica em um tênis de corrida. Modelos com menos amortecimento podem te atender melhor, alguns são pouco mais leves e obviamente mais baratos.
E se o corredor é um “peso-pesado”,(está muito acima do seu peso), então o fator amortecimento irá trazer conforto e absorção de impacto, sendo modelos com estas tecnologias os mais corretos. Tenho notado que alguns corredores com estas características querem iniciar na corrida adquirindo modelos de competição que pesam menos de 200gr, achando que podem ter alguma vantagem em relação á estrutura corporal que possuem, e isto é um erro. Na prática o corredor certamente não irá se adaptar ao tênis por não ter quase nada de amortecimento, além de talvez adquirir alguma lesão.

E lembre-se: Não existe o “melhor tênis de corrida ou a melhor marca de corrida do mundo”. O melhor tênis de corrida é aquele que você coloca no pé e sente-se muito bem, sem qualquer tipo de desconforto. Diante disso experimente modelos e marcas que já ouviu falar mas nunca se interessou em testar.

Bons treinos!

POR DEBS AQUINO                                                                                             http://www.blogdadebs.com.br